Prazos processuais estarão suspensos em algumas unidades da Justiça do Trabalho da 23ª Região (MT) durante Semana Nacional da Conciliação Trabalhista

0
4

A Justiça do Trabalho da 23ª Região (MT) participa da quinta edição da Semana Nacional da Conciliação Trabalhista, entre os dias 27 e 31 de maio. Com o tema “Menos Conflitos. Mais Soluções: com a conciliação o saldo é sempre positivo”, a iniciativa reúne todos os tribunais do trabalho do país em um esforço para garantir o pagamento de dívidas trabalhistas.

Durante o evento, a Justiça do Trabalho soma esforços para ampliar o número de audiências entre empregados e empregadores, buscando alcançar o maior número possível de acordos.  O objetivo é proporcionar, por meio de solução amigável, maior celeridade ao encerramento de conflitos trabalhistas. Confira aqui o vídeo da campanha.

Prazos

Durante a Semana Nacional de Conciliação, os prazos processuais e regimentais estarão suspensos na 1ª, 3ª 4ª e 9ª varas do Trabalho de Cuiabá, 2ª de Rondonópolis, 1ª e 2ª de Sinop, 1ª e 3ª de Várzea Grande, além das unidades de Mirassol D’Oeste e Sorriso (MT).

A 2ª Vara do Trabalho de Cuiabá e a unidade de Peixoto de Azevedo terão os prazos contados normalmente durante o período. Isso porque as unidades não cumpriram os requisitos necessários para inclusão de processos na pauta especial da V Semana de Conciliação, segundo a Portaria Conjunta TRT Correg GP 017/2019.

Os prazos processuais que se iniciarem ou vencerem de 27 e 31 de maio ficam, automaticamente, prorrogados para o primeiro dia útil subsequente, conforme dispõe o § 1º do artigo 224 do Código de Processo Civil de 2015.

– Conflitos + Soluções

A temática da campanha deste ano conta com numerais e símbolos de operações matemáticas que visam mostrar, de forma objetiva, os resultados positivos que a Semana da Conciliação Trabalhista tem alcançado desde 2015.

Somente nas quatro primeiras edições, foram contabilizados mais de 700 mil pessoas atendidas, cerca de 102 mil acordos consolidados e um montante movimentado que ultrapassou R$ 2 bilhões. Ou seja, como o próprio slogan já destaca, “com a conciliação o saldo é sempre positivo”.

Fonte: TRT da 23ª Região (MT)

CSTJ

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here