Hoje o destaque do Programa Link CNJ é a violência doméstica

0
9

Hoje o destaque do Programa Link CNJ é a violência doméstica

Juíza auxiliar da Presidência do CNJ, Andremara dos Santos, que fala sobre a Semana Justiça Pela Paz em Casa.FOTO: Luiz Silveira/Agência CNJ

Juíza auxiliar da Presidência do CNJ, Andremara dos Santos, que fala sobre a Semana Justiça Pela Paz em Casa.FOTO: Luiz Silveira/Agência CNJ

Como o Judiciário brasileiro vem trabalhando para ajudar a combater a violência doméstica contra a mulher? Esse é o principal  assunto que o programa Link CNJ apresenta nesta quinta-feira (7/12), às 21h30, na TV Justiça. 

A entrevistada da semana é a juíza auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Andremara dos Santos, que fala também sobre a campanha nacional Semana Justiça Pela Paz em Casa, idealizada pela presidente do CNJ, ministra Cármen Lúcia. A campanha é responsável pela finalização de mais de 100 mil casos, que tramitavam na Justiça relativos à violência doméstica contra a mulher. 

A revista eletrônicatraz também uma matéria sobre os vencedores do Prêmio Innovare, que visa homenagear ações voltadas ao melhoramento do Judiciário. Nesta edição do Innovare, cinco dos sete projetos vencedores dedicaram sua atenção à melhora do sistema carcerário.  

O programa Link CNJ também aborda as principais decisões dos conselheiros do órgão na penúltima sessão plenária do ano. Em todas as edições, o programa traz reportagens, campanhas e eventos que fazem do CNJ “a Justiça da Justiça” assim como temas conduzidos pelo Poder Judiciário em todo o Brasil.

A TV Justiça pode ser sintonizada por antena parabólica e, em todo o Brasil, pelas seguintes operadoras: DHT (canal 6), Embratel (canal 120), GVT (canal 232), Oi (canal 21), Sky (canal 167), Star Sat (canal 27) e Telefônica (canal 691). O programa Link CNJ terá reprises sempre às 12h30 dos sábados e às 7h30 das terças-feiras. Para assistir aos programas já veiculados, clique aqui para acessar o canal do CNJ no Youtube.

 

Agência CNJ de Notícias

 

 


Tópicos: acesso à justiça,link

Fonte: CNJ

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here