Audiência dos médicos de unidades públicas de saúde da Capital termina em acordo

0
36

 

Terminou em acordo a audiência do dissídio coletivo de greve envolvendo o Município de Curitiba, a FEAES (Fundação Estatal de Atenção Especializada de Curitiba) e os médicos que atuam em unidades públicas de saúde da Capital, como as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). Em pauta, a definição do reajuste salarial, impasse que durava quase um ano, impedindo a celebração do Acordo Coletivo do biênio 2017/2018, além de ter provocado o movimento grevista dos médicos.

A sessão foi presidida pela vice-presidente do TRT-PR, desembargadora Nair Maria Lunardelli Ramos, e realizada na sede do Tribunal, em Curitiba.

As partes concordaram em reajuste salarial de 4% sobre o valor da hora-base e dos benefícios de natureza econômica. O pagamento da diferença será retroativo a 1º de maio de 2017 e quitado em cinco parcelas.

Os pagamentos ficarão a cargo apenas da FEAES, entidade cuja atribuição é contratar médicos da rede pública de Curitiba.

Ficou ajustado, ainda, que os demais pedidos inerentes à relação de trabalho serão debatidos na próxima data-base, mantida em 1º de maio.

Em razão do acordo celebrado, as partes aceitaram desistir dos outros dois dissídios coletivos, que versam sobre a greve e sobre possíveis condutas antissindicais atribuídas à FEAES e ao Município.

A desembargadora Nair Maria Lunardelli Ramos, como afirmou, dispensou as custas judiciais em homenagem "ao esforço de conciliação efetuado pelas partes".

Os trabalhadores foram representados pelo Simepar (Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná).

A procuradora do trabalho Viviane Dockhorn Weffort acompanhou as negociações.

A sessão foi transmitida ao vivo pelo canal do TRT-PR no YouTube. (Confira a audiência na íntegra).

Para outras informações, consulte a ata da audiência.

Fonte: TRT 9

CSTJ

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here